Dez tecnologias que o tornam mais idiota

Paradoxos, avanços que são contratempos, contradições, efeitos colaterais ou contra-indicações: dessa forma, você pode ler o lado B da tecnologia e seus benefícios. A cada descoberta, há também o risco de um ponto negativo. Então, mais comunicação de repente se torna incomunicável e a praticidade põe em risco o exercício cognitivo necessário para o desenvolvimento normal das funções mentais. Não abusar de novas descobertas, bem como não depender delas exclusivamente, fazem parte das soluções possíveis. Enquanto a infinidade de dispositivos que surgem neste ramo colabora na vida cotidiana, o cérebro é sempre o nosso melhor aliado.

TV

Isolamento, danos auditivos, defeitos posturais, secura visual, conjuntivite e excesso de peso são alguns dos efeitos negativos que a televisão pode produzir naqueles que a assistem excessivamente. Isso foi dito pelo epidemiologista José Antonio Flores Barrientos, do jornal mexicano Norte Digital. O especialista esclareceu que isso também acontece com outros dispositivos, como videogames e telefones celulares. Esse dano é agravado se os usuários tiverem menos de 21 anos, momento em que o físico ainda está em desenvolvimento. O médico acrescentou que as pessoas não recorrem a um centro de saúde para esses problemas até que o assunto já esteja bem avançado.

Twitter

Por meio de um estudo sobre memória de trabalho, cujas habilidades são lembrar informações e usá-las, a Dra. Tracy Alloway, psicóloga da Universidade de Stirling, na Escócia, disse que o Twitter nos torna mais tolos. O especialista disse que a rede social de microblogs não estimula o cérebro suficientemente. Assim, ele esclareceu que isso, como qualquer músculo, precisa ser exercitado para se manter saudável. A hipótese, que afirma que as mensagens do Twitter são muito curtas e não exigem esforço intelectual para processar ou interpretar as informações, foi publicada pelo jornal Telegraph.

Telefone celular

Comunicação ou falta de comunicação? A expansão dos telefones celulares e, ainda mais, dos smartphones, apresentou à humanidade um novo panorama. Enquanto o telefone antigo, o telefone fixo, foi criado para aproximar as pessoas, o celular já questiona essa função e apresenta o paradoxo de ser responsável por um certo isolamento. Reuniões em que todos passam seu tempo no telefone celular, horas dedicadas a ele nas redes sociais ou na Internet ou mensagens de texto em vez de conversas são alguns dos pontos que despertam a preocupação de especialistas em relacionamentos humanos.

PowerPoint

O jornalista francês Franck Frommer publicou um livro chamado “PowerPoint Thinking: Inquérito sobre este programa que o torna estúpido”. Embora o título seja mais do que eloquente, sua explicação é que o programa procura hipnotizar o público e limitar seu raciocínio. “O usuário não se sente responsável porque não criou a apresentação”, diz o autor. “Muitas vezes são incorporadas imagens que não têm nada a ver com o que está sendo dito, simplesmente como um ornamento ou anestesia. A encenação exige uma sala escura na qual as pessoas estão atentas à tela e consomem 15 slides em meia hora Quando você sai da sala, saturada de imagens, praticamente esquece tudo “, disse ele ao jornal El País.

Correios e bate-papo

Correio e bate-papo tornaram-se ferramentas cotidianas do mundo moderno. Certamente, no momento de sua criação, eles eram vistos como programas para separar as pessoas a uma certa distância, mas, mais uma vez, sua prática modificou costumes e, talvez, até seu objetivo original. Atualmente, não é incomum ver duas pessoas separadas por apenas uma mesa, uma cadeira ou centímetros de distância que se voltam para conversar ou enviar e-mail para se comunicar. Aumentar sua voz para estabelecer comunicação parece, às vezes, no meio de computadores e smartphones, uma missão impossível.

Agenda eletrônica

Os diferentes dispositivos modernos que oficiam como agenda eletrônica parecem tentar diretamente na memória. A capacidade humana de lembrar números, números e eventos é visivelmente afetada por telefones, computadores e outros dispositivos que fornecem dados aos usuários. Não é incomum tentar ligar para um telefone e ser desativado quando a agenda não está disponível ou nas proximidades. Além disso, o número de pessoas que escrevem seu próprio número aumenta depois de se render à fatídica e usual anedota de não se lembrar dele ao tentar entregá-lo a alguém.

Internet

Poucos especialistas lançaram uma batalha contra a Internet e seus efeitos. Segundo eles, a facilidade, velocidade e variedade de resultados que a rede traz para os usuários prejudica sua capacidade intelectual. De acordo com essa tese, além disso, a Web afeta a capacidade de concentrar as pessoas. Elena Mató, especialista em psicologia clínica, disse em nota ao site de saúde da Mapfre que os adolescentes que abusam da Internet podem sofrer de superestimulação, perda de intimidade e até distúrbios psicológicos. Outro ponto contrário é a grande quantidade de conteúdo falso que circula na Internet. Existem páginas e artigos em que a verificação de informações é nula e, no entanto, esse tipo de resultado aparece instantaneamente antes de uma consulta. Isso, associado ao seu efeito negativo nos livros, pelo menos,

Facebook

Pesquisas sugerem que o Facebook tem efeitos negativos sobre os alunos usuários dessa rede social. O estudo, da Ohio State University, sugere que os alunos que mais usam o Facebook obtêm notas piores. “Não podemos dizer que o uso do Facebook leva a estudar menos e tirar notas piores, mas encontramos uma relação entre ambos”, disse Aryn Karpinski, uma das pesquisadoras. “Se o Facebook não existisse, alguns alunos possivelmente encontrariam outras maneiras de evitar os estudos e continuariam obtendo notas mais baixas. No entanto, essa diminuição na média de todas as notas diárias também pode ser devido ao fato de os alunos passarem muito tempo socializando on-line” terminado

Videogames

Os videogames são geralmente os mais viciantes que a tecnologia moderna apresenta. Muitas vezes, o centro das discussões entre casais em que o homem passa quase horas intermináveis ​​na frente do dispositivo também é mencionado como uma ferramenta de risco vital. No Reino Unido, segundo o Daily Mail, um garoto de 20 anos morreu de trombose venosa após jogar várias horas com um Xbox 360. O pai da vítima disse que o garoto passava pelo menos 12 horas por dia jogando. Como aconteceu, o episódio fatal começou com uma forte dor no peito que se moveu para a panturrilha e, em seguida, resultou na notícia fatal.

Controle remoto

Conforto, variedade ou apenas mais uma ferramenta em detrimento do ser humano? O controle remoto deve ser analisado como uma causa de divórcio. O número de vezes que o maldito botão de mudança de canal é pressionado excede todas as estatísticas. Da cama, usuários indecisos veem os dedos correndo pelo dispositivo repetidamente em busca de quem sabe o quê. Finalmente, zapping resulta em não ver nada, em uma eleição cancelada, em passar pela oferta de televisão infinitamente sem parar em nenhum programa. Embora seja verdade que o dispositivo facilita a tarefa de pressionar os botões sem se aproximar da TV, já existem várias pessoas que acreditam que seu efeito é mais negativo do que positivo.

Referências

 

Você pode estar interessado:

Deixe um comentário