Como as informações são armazenadas em uma memória externa?

À medida que a capacidade tecnológica aumenta e se torna mais acessível ao público em geral, cresce a necessidade de unidades de armazenamento maiores. Para tornar isso possível, uma grande quantidade de dados deve ser inserida em um pequeno dispositivo. As memórias flash são uma solução para esse problema, pois oferecem a capacidade de armazenar coleções multimídia em um dispositivo do tamanho de um polegar. Para isso, são necessárias técnicas especiais de armazenamento de dados.

Origem

O armazenamento de dados é apresentado em uma variedade de formatos, cada um adaptado à tarefa específica à qual será aplicado. Um exemplo disso é a RAM (Memória de Acesso Aleatório), usada para armazenar aplicativos em execução em um computador. A RAM é adequada para esta tarefa devido à sua alta velocidade, mas não é adequada para armazenamento a longo prazo porque é apagada quando não está conectada a uma fonte de energia. A memória flash é um subtipo de memória chamado EEPROM (ROM programável e apagável eletricamente).

Caracteristicas

A memória flash possui vários atributos que o tornam adequado para armazenamento portátil de dados. Diferentemente da RAM, a memória flash não é excluída quando o dispositivo é desligado. Embora existam outros dispositivos que fornecem essa funcionalidade, eles têm várias desvantagens. A ROM, ou memória somente leitura, armazena permanentemente os dados com os quais foi imbuída durante sua fabricação. Para os consumidores que desejam armazenar dados em casa, isso não é útil. Usar apenas um disco rígido não é útil, pois requer grandes quantidades de energia, contém partes móveis e não é tão portátil.

Mecanismo físico

Os transistores são responsáveis ​​pela aparência física dos dispositivos de armazenamento de dados. A maioria dos transistores só pode armazenar informações quando a energia flui através deles. Um componente chamado “o portão” determina se o transistor está em um estado que representa um “0” ou um “1”. Os transistores de memória flash têm uma segunda porta, chamada porta flutuante. Isso prende os elétrons para manter o valor do transistor, mesmo quando não há corrente.

Armazenamento de dados

Como a maioria das formas de armazenamento, as unidades de armazenamento armazenam memória usando dígitos binários. Um transistor pode armazenar um “0” ou um “1”, com base na carga elétrica presente nele. Se um elétron está presente dentro de uma porta, ele não é mais condutor, o que produz um “0”. Um “1” ocorre se não houver elétrons, o que faz o transistor do condutor. Quando vários transistores são agrupados, isso é chamado de bloco ou setor. Uma série delas permite que a equipe forme estruturas de dados complexas usando dígitos binários simples.

Nivelamento de desgaste

Após uma quantidade suficiente de uso, os setores da memória flash são danificados devido à corrente elétrica. Isso pode causar perda de dados se não for tratado preventivamente. Para resolver esse problema, os fabricantes de memória flash empregam uma técnica chamada “nivelamento de desgaste”. Essa técnica faz com que os dados sejam armazenados na memória em setores que foram gravados um número relativamente baixo de vezes, na tentativa de impedir que os setores se desgastem rapidamente. Uma tabela de pesquisa é armazenada no disco para que os dados sejam tratados como se fossem armazenados sequencialmente, mesmo que não sejam.

Referências

 

Você pode estar interessado:

Deixe um comentário